Notícias

Província

Província

Origem da devoção a Nossa Senhora das Candeias

A origem da devoção a Nossa Senhora das Candeias (também conhecida como Nossa Senhora da Candelária ou Nossa Senhora da Luz) iniciou-se na festa da apresentação do Menino Jesus no Templo e na da purificação de Nossa Senhora, que ocorre quarenta dias depois de seu nascimento (sendo, assim, comemorada no dia 2 de fevereiro). De acordo com a tradição mosaica, as parturientes, depois de darem à luz, ficavam impuras, não podendo entrar nos templos nos quarenta dias seguintes do parto. Passados os quarenta dias, tinham que se apresentar ao sumo-sacerdote, para apresentar o seu sacrifício (um cordeiro e duas pombas) e assim obter a purificação. Assim, José e Maria logo se apresentaram no Templo e foram acolhidos por Simeão, para realizar o sacrifício. Simeão, profeta, revelou ao casal as maravilhas relacionadas ao Menino Jesus, disse a eles: “Agora, Senhor, deixa partir o vosso servo em paz, conforme a Vossa Palavra. Pois os meus olhos viram a Vossa salvação que preparastes diante dos olhos das nações: Luz para aclarar os gentios, e glória de Israel, vosso povo” (Lucas, 2,29-33). A palavra “candeia” significa vela, tocha, lâmpada.

Aparição de Nossa Senhora das Candeias

Nossa Senhora das Candeias fez sua aparição no ano de 1400, em uma praia da ilha de Tenerife (Ilhas Canárias, Espanha). Os nativos da ilha, que eram conhecidos como guanches, sentiram medo da Virgem e tentaram atacá-la, mas não conseguiram, já que a aparição paralisou suas mãos. Depois disso, guardaram a imagem em uma caverna, onde, após vários anos, foi construída a Basílica Real da Candelária (em Candelária). Anos depois, a devoção chegou até a América, onde se espalhou ainda mais. Nossa Senhora da Candelária é a padroeira das Ilhas Canárias.

Invocação e expansão do culto

Nossa Senhora da Candelária era, por tradição, invocada pelos cegos, fato que foi afirmado pelo Padre António Vieira ao assim dizer: “Perguntai aos cegos para que nasce esta celestial Menina, dir-vos-ão que nasce para Senhora das Candeias […]”. Além disso, Nossa Senhora das Candeias se tornou bastante cultuada pelos portugueses desde o século XV. De acordo com a tradição, essa devoção se deve a Pedro Martins, que era um fervoroso devoto de Nossa Senhora. Ele encontrou no sítio de Carnide, que fica em Lisboa, uma imagem de Maria sendo iluminada por uma estranha luz. Construiu-se no sítio, então, um convento e uma igreja dedicados à Virgem das Candeias. Com isso, a devoção a Nossa Senhora das Candeias aumentou ainda mais, já que foi difundida pelos portugueses nas regiões colonizadas, principalmente no Brasil, onde a Virgem da Candelária se tornou a Padroeira de Curitiba.

Oração a Nossa Senhora das Candeias

“Virgem Santíssima das Candeias, vós que pelos merecimentos de vosso Filho Onipotente, tudo alcançais em benefício dos pecadores de quem sois igualmente Senhora e Mãe. Vós que não desprezais as súplicas humanas e nem a elas fechais o vosso coração compassivo e misericordioso. Iluminai-me, eu vos peço, na estrada da vida, encorajai-me e encaminhai os meus passos e as minhas orações para o verdadeiro bem. Livrai-me de todos os perigos a que está exposta à minha fraqueza. Defendei-me de meus inimigos, como defendeste o vosso amado Filho das perseguições que sofreu sendo menino. Não consintais que eu seja atingido por ferro, fogo e nem por peste alguma, e depois de todos estes benefícios de vossa clemência nesta vida, conduzi a minha alma para a morada dos anjos, onde com Jesus Cristo, vosso Filho e Nosso Senhor, viveis e reinais, pelos séculos. Que assim seja.”

 

Fonte: Cruz Terra Santa

Sexta, 29 Janeiro 2021 21:37

Retiro Provincial

[RETIRO PROVINCIAL]

Entre os dias 1º e 5 de fevereiro, acontecerá no Recanto da Rainha dos Mártires Claretianos, em Águas Claras, o Retiro Espiritual da Província São Maximiliano Kolbe.

Segunda, 18 Janeiro 2021 20:52

Missa de envio do Frei Antônio Maria

No último sábado (16), aconteceu no Santuário Nossa Senhora Imaculada Conceição, a missa de envio do Frei Antônio Maria (OFMConv.). A Santa Missa foi presidida pelo Ministro Provincial, Frei Gilberto de Jesus (OFMConv.) e concelebrada pelos demais frades professos presentes. Também marcaram presença os membros da Milícia da Imaculada (MI) e amigos.

O Frei Antônio Maria será missionário no estado do Amazonas, na cidade de Juruá. Ao longo do ano, o frade mostrou grande desenvolvimento vocacional na Província São Maximiliano Kolbe, fazendo seus votos solenes em julho e recebendo o diaconato na Bahia no dia 19 de dezembro de 2020. Até então, Frei Antônio residia no Convento Santo Antônio, na Cidade Ocidental (GO). Após sua missa de envio, ele será mandado em missão para Juruá (AM).

Durante sua homilia, Frei Gilberto ressaltou a importância da vocação missionária, a exemplo de Jesus no Evangelho da vocação de São Mateus. Segundo ele, Jesus foi um excelente missionário, pois soube levar a Boa Nova nas mais diversas situações: Diante da multidão que ia ao seu encontro; diante de São Mateus, enquanto exercia seu trabalho de publicano; diante dos pecadores, quando comia com eles; diante dos fariseus e doutores da lei, que sempre o atacavam...

O Frei Gilberto discursou ainda para Frei Antônio sobre o missionário ser aquele que sabe lidar com as realidades da multidão, da pluralidade. Deve ser aquele que convida jovens, casais e famílias para o encontro com Jesus. Aquele que está junto com os pecadores, das mais diversas culturas, mas sem perder o foco diante dos descontentes e incrédulos.

O frei Antônio fez ainda um discurso de agradecimento: “Acredito que a missão tenha algo de sacramental. Talvez ela seja, na verdade, o sinal mais contundente e eficaz da ação de Nosso Senhor. Porque é por meio da missão que a igreja e a dispensa dos sacramentos começam a acontecer, a existir e a brotar no coração do povo. Mas não só os sacramentos, toda a ação do Evangelho começa a brotar a partir da missão. Agradeço imensamente a Deus por me dar essa oportunidade, a vocação missionária, o chamado a esse desafio. Agradeço à minha Mãe Imaculada, minha senhora, minha amiga, por ser a Senhora do meu envio, por me enviar a esta casa. À província, na pessoa do Frei Gilberto, por ser a voz de Deus nesse momento, dizendo que é isso que ele deseja para mim. Ao Frei Amilton, guardião dessa casa e grande amigo que juntos trabalhamos por tanto tempo na Milícia da Imaculada e nutrimos um carinho muito forte um pelo outro. Muito obrigado frei, por essa acolhida, por essa celebração. Eu sei que os tempos são difíceis, o senhor meio sozinho pra conduzir tudo. Mas a Imaculada sustenta o senhor, guarda o senhor e com certeza vai retribuir todo esse carinho e toda essa generosidade que o senhor sempre teve por mim (...). Agradeço a todos os confrades aqui presentes, pela disponibilidade de terem vindo. Frei Pedro, missionário; Frei Adriano, missionário também; Frei Israel, nosso definidor; Frei Lucio, Frei Mariusz, Frei Fernando, Frei Alexandre, os confrades do seminário, muito obrigado por terem vindo, nossos irmãos das outras casas de formação. A todos os membros da Milícia da Imaculada, na pessoa do Marcelo, presidente da MI e grande amigo, que de alguma maneira contribuíram para esse momento (...)”.

Ao final da celebração, houve o envio e a bênção da cruz missionária. Que Deus abençoe o Frei Antônio nessa missão tão importante para nossa Província São Maximiliano Kolbe.

Terça, 05 Janeiro 2021 19:57

Prospectus Online

Em anexo, o Prospectus Online com as principais notícias da Província São Maximiliano Kolbe do segundo semestre de 2020.

Segunda, 04 Janeiro 2021 21:02

Visita de Dom Paulo Cezar Costa aos frades

Na última sexta feira, dia 1º de janeiro, os frades e a comunidade do Santuário São Francisco de Assis na Asa Norte receberam a visita de Vossa Excelência Reverendíssima Dom Paulo Cezar Costa, atual arcebispo de Brasília.

Dom Paulo Cezar celebrou a Santa Missa das 19h, juntamente com os frades. Em seguida, fez uma visita fraterna ao Seminário São Francisco de Assis e à Residência Provincial.

Terça, 29 Dezembro 2020 17:43

Confraternização Provincial de Natal

Na última segunda feira, 28 de dezembro, aconteceu na capela do Seminário São Francisco de Assis, a celebração eucarística em comemoração ao Natal do Senhor. A Santa Missa foi presidida pelo Ministro Provincial, Frei Gilberto de Jesus (OFMConv.) e concelebrada pelos confrades presentes.

Após a celebração eucarística, os frades e irmãs religiosas compartilharam um almoço fraterno.

Caros confrades, nos aproximamos da “Solenidade do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo”. Nascerá em meio as nossas realidades o “Sol da Esperança”, o “Sol que nasce do Alto”, que é Jesus o Filho de Deus feito homem, como afirma o Evangelho da noite do Natal: “O Sol que nasce do alto nos visitará para iluminar [...] dirigir os nossos passos” (Lc 1,76). Às vésperas da passagem de mais um ano, neste tempo natalino, refletimos as conquistas e os desafios enfrentados ao longo de um ano atípico a nível mundial, nacional, regional e local.

Escutamos a partir da oração de São Francisco de Assis, diante do crucifixo, o pedindo que a luz do Senhor ilumine o seu coração: “Iluminai as trevas do meu coração, concedei-me uma fé verdadeira, uma esperança firme e um amor perfeito”. Assim também, temos a esperança nessa luz que inspira nossas ações de religiosos franciscanos! Houve, de fato, diversos desafios, nos quais vimos expostas nossas fragilidades humanas, nossas dificuldades, mas também muitas vitórias na vivência religiosa provincial. Neste tempo de pandemia, Deus iluminou inúmeros confrades, que nas diversidades de seus carismas tornaram possíveis o apostolado e a vida fraterna, pois se colocaram como sinal de transformação e luz diante das incertezas deste tempo.

Adentramos nesse tempo de Natal, ardorosos na esperança e na confiança, conscientes de um recomeço iluminado por Aquele que é a Luz do mundo e crendo nas palavras do Evangelho do dia do Natal, quando São João aponta a Palavra Encarnada diz que, é Jesus a luz do mundo “Tudo foi feito por ela [...] Nela estava a vida, e a vida era a luz dos homens” (Jo1, 3-4). Nessa Esperança, nasce em nossos corações de frades, de homens consagrados, inspirados pelos Conselhos Evangélicos – de pobreza, obediência e castidade –, a renovação de nossas convicções pessoais e vocacionais e abrindo-nos às “realidades do céu”.

Como homens de fé, somos exortados a viver esse Natal como meio para o “encontro”; como condição de transformação para um novo “estado de espírito”, possibilitando o “ser religioso franciscano”, na comunhão com Deus e com os irmãos na fraternidade. Em sua Encíclica Fratelli Tutti (n. 106), o Papa Francisco afirma: “A fraternidade universal, há que fazer um reconhecimento basilar e essencial: dar-se conta de quanto vale um ser humano, de quanto vale uma pessoa, sempre e em qualquer circunstância”.

O Natal do Senhor, é um convite especial a transcender nossas ações festivas, valorizando o encontro com Aquele que é a Luz, Jesus Cristo! Iluminamos as trevas em nossos corações, vivendo a experiência desse encontro, permitindo refletir nossas diversas fragilidades: egoísmos, individualismos, partidarismos, para dar lugar a “Teologia do Encontro”. Encontro com Deus que continua a nos falar todos os dias “Ele nos falou por meio do Filho, a quem ele constituiu herdeiro de todas as coisas” (Hb 1,1). E o encontro com o outro na vida fraterna!

É tempo de novas oportunidades, é tempo de renovação da vida cristã, de dar sentido a nossa religiosidade. Somos chamados a revelar essa luz aos homens e ainda mais a revelá-lo na fraternidade. São Francisco de Assis nos diz no seu Testamento, n. 14: “O Senhor me concedeu irmãos”; o desafio nesse Natal é valorizarmos a fraternidade, mesmo que seja desafiador, exercer esse dom recebido com gratidão, como caminho de construção, todos nós temos um compromisso com a vida fraterna.

Que esse espírito natalino, nos torne solidários no apostolado, que emana de um convívio harmônico da comunidade, sendo solícitos nos exercícios pastorais, testemunhando a vida conventual. Não esqueçamos, o que nos ensinou o Seráfico pai são Francisco na Regra Não-Bulada, IX 11, “Que cada um seja chamado a amar e a alimentar o seu irmão, assim como a mãe ama e nutre o próprio filho”. São Francisco nos ensina que nossa inserção na fraternidade, nos pede disposição, coragem e entrega na vida fraterna. De fato, a abertura dos nossos corações ao Nascimento do “Menino Deus”, terá sinais significativos em nossa existência se contribuímos para ninguém seja excluído, para que tenha oportunidade no convívio fraterno, seja a nível local, regional ou provincial!

Desejo aos confrades que a luz de Cristo, Feliz Natal! Paz e Bem!

 

Frei Gilberto de Jesus (OFMConv)

Ministro Provincial

O Instituto São Boaventura (ISB) é a casa de estudos pertencente à Província São Maximiliano Maria Kolbe, da Ordem dos Frades Menores Conventuais, com sede em Brasília – DF. Nossos trabalhos foram iniciados em 1995, com o nome de Instituto de Filosofia e Teologia São Boaventura (IFITESB). Para iniciar as atividades na formação presbiteral e religiosa recebemos a benção do Cardeal D. José Freire Falcão. 

Além dos cursos de bacharel em Teologia e Filosofia, o instituto oferece cursos de extensão e língua estrangeira (Inglês, Francês, Italiano e Latim).

Nossas matrículas estão abertas. Façam-nos uma visita e confiram!

Segunda, 21 Dezembro 2020 20:06

Ordenação Diaconal do Frei Antônio Maria

No último domingo, 20 de dezembro, aconteceu no Santuário Nossa Senhora das Candeias (Candeias-BA), diocese de Camaçari, a Ordenação Diaconal do Frei Antônio Maria dos Santos Júnior (OFMConv). A ordenação aconteceu pela imposição das mãos de Vossa Excelência Reverendíssima, Dom Marcos Eugênio Galrão Leite de Almeida, bispo auxiliar de Salvador-BA.

Estiveram presentes o Ministro Provincial, Frei Gilberto de Jesus (OFMConv); o Vigário Provincial, Frei Flávio Amorim (OFMConv) e demais frades, sacerdotes e diáconos da província e região. Junto a eles, o povo de Deus que se juntou à assembleia para acompanhar este santo rito. Foi um momento sublime na vida vocacional de Frei Antônio Maria, que esteve desde o mês de Julho morando no Convento Santo Antônio, na Cidade Ocidental-GO. Ele passará a exercer o ministério do diaconato no Amazonas, na cidade de Juruá.

Após a celebração, aconteceu uma breve confraternização com parentes, amigos e demais confrades. Parabéns ao Frei Antônio Maria. Que Deus e a Virgem Santíssima o abencoe e cubra com suas graças em seu ministério do diaconato!

Na última terça feira (8), aconteceu no Santuário Jardim da Imaculada, na Cidade Ocidental (GO), a Santa Missa pela Solenidade da Imaculada Conceição de Maria e em ação de graças pelo 25º aniversário de ordenação sacerdotal do Frei Marcos Pereira da Silva (OFMConv).

Ao celebrar a Imaculada Conceição, reconhecemos o valor da Virgem Santíssima em nossa realidade como Igreja e como religiosos. Ao mesmo tempo, reconhecemos nesta festa de 25 anos de vida Sacerdotal de Frei Marcos Pereira, a fidelidade ao longo desses anos. São visíveis e perceptíveis os sinais de Maria nele ao longo desses anos. Sendo um religioso fiel, que silencia, que reza, que se sacrifica, mas que também se alegra e encontra a felicidade das coisas de Deus.

Nesses 25 anos, o frade se dedicou ao trabalho de evangelização por onde passou. E não foram poucos os lugares por onde Frei Marcos esteve se dedicando ao serviço de Deus. Ele já esteve na Paróquia São José, em Niquelândia (GO); na Paróquia Santo Antônio, na Cidade Ocidental (GO); na Paróquia Imaculada Conceição, no Novo Gama (GO); Comunidade Terapêutica São Francisco, em Luziânia (GO); no Santuário Nossa Senhora das Candeias, em Candeias (BA); Comunidade Terapêutica São Francisco, também em Candeias; na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em João Pessoa (PB); na Casa de Missão Nossa Senhora de Fátima, em Juruá (AM); no Santuário Jardim da Imaculada, na Cidade Ocidental (GO); na Paróquia são Maximiliano Maria Kolbe, em Águas Lindas (GO); e na Paróquia Nossa senhora de Fátima, em Feira de Santana. Lugares que deu sua vida para evangelização de muitos irmãos. Colocamos no altar como incenso a Deus seu amor e dedicação.

 Na Solenidade da Imaculada Conceição (Evangelho de São Lucas 1,26-38) a Virgem Santíssima, é visitada pelo anjo que diz: “Ave cheia de Graça! Não temas Maria, pois encontrastes graça diante de Deus”.

 O anjo confirma uma promessa que fora escrita na primeira leira do livro de Gêneses 3,15: "Porei ódio entre ti e a mulher entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça, e tu ferirás o calcanhar". A mulher que ferirá a marca da serpente na natureza humana será a Imaculada. Nossa Senhora está prometida a São José, um homem da casa de Davi. Mas o anjo lhe faz confirmar a promessa divina, revelando o projeto de Deus que é ser a Imaculada: "Eis que conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. Ele será grande e chamar-se-á Filho do Altíssimo”.

 Ao celebrar essa Solenidade, aprendemos ressaltar os valores da Virgem Santíssima, como os santos franciscanos:

 São Francisco de Assis que dizia: “Oh Mãe de Deus, ó .. Em vós residiu e reside toda plenitude da graça e todo o bem".

  • São Maximiliano dizia: “Deus vê a mais perfeita criatura, a Imaculada (cheia de graça), ama-A e assim nascerá Jesus”.
  • São Boaventura dizia: “Tem o Paraíso seguro todos os que anunciam as glórias de Maria".

Na Aparição da Virgem Santíssima à Santa Bernadete, em Lurdes na França, Maria proclamou-se, explicitamente, com a prova de incontáveis milagres: "Eu sou a Imaculada Conceição". Dando a conhecer a sua relação com Deus, a sua importância ao ser escolhida, abaixo da Trindade, mas acima dos anjos e santos.

Em 1854, exatamente no dia 08 de dezembro,166 anos atrás, o Papa Pio IX promulgou o dogma da Imaculada Conceição de Maria revelando ao mundo o poder de Deus conforme atesta Duns Escotus: “Deus quis, Deus pôde e Deus fez", referindo-se a ação divina na Imaculada Conceição. Deus deu a Ela o privilégio. O Senhor pôde e quis conceder a Ela a graça especial. É perceptível na ação divina o seu querer determinante, dando a nós a certeza que é vontade de Deus a nossa salvação, mesmo que nossa natureza não a deseje.

Deus preparou a seu Filho uma digna habitação, pois seu projeto de redenção da humanidade está presente em Maria, cheia de graça. Assim, toda a obra de salvação veio da gratuidade do Deus misericordioso. Ele concedeu à Virgem Maria os méritos de participar da Redenção, sendo ela a primeira a ser redimida. Por isso, a Nossa reverência, respeito, amor à Virgem Santíssima, aumenta por sabermos que o projeto de Maria é o projeto o Deus.

A devoção à Imaculada nos faz reconhecer que Deus realiza sua graça cotidianamente em nós, o que começou em Maria como privilegiada. A Virgem Santíssima sendo redimida por obra da graça, é a primeira a ser totalmente consagrada ao Senhor. Esse é o privilégio daquela que foi escolhida para ser Mãe do Salvador. Por isso, respeitosamente, nós a chamamos de Mãe de Deus.

Em Maria é cortada a corrente do pecado original, que afeta nossa natureza. Na carta de São Paulo aos Romanos 03,23 diz: "Todos pecaram e privados estão da glória de Deus". A imaculada é a primeira a ser redimida. A iniciativa, a intervenção da graça divina a humanidade decaída inicia seu projeto na Imaculada.

Na humanidade de Maria, ocorreu a redenção do Salvador de forma antecipada. A graça concedida a Ela, é dada a todos nós. Ela é privilegiada primeiro em provisão da conquista da Redenção realizada por Jesus Cristo, mas nós somos beneficiados posteriormente a esse benefício.

Celebrar a Imaculada Conceição de Maria nesse dia, nos faz reconhecer que a ação redentora de Deus vai acontecer para todos, mediante a redenção de Cristo e a obediência de fé ao exemplo de Maria.

A cena da tentação do Paraíso se repete a cada um de nós, todos os dias. Mas pela graça alcançada de Cristo, somos predestinados à salvação. Todos podem vencer. Em Maria está a ação do Espírito Santo, a mesma graça do Espírito Santo que gera em nós o mesmo Jesus por uma vida de obediência sacramental. A graça divina realiza em totalidade na Imaculada o que pode realizar em qualquer homem fragilizado pelo pecado.

É claro para nós que Jesus não nasceu como nós, marcado pelo pecado original, pois sua Mãe não O gerou no pecado de Adão, mas na Graça do Espírito Santo.

Conforme a primeira leitura, Eva fora criada em plena comunhão com Deus, deixou-se envolver pela força dos instintos, rompendo com o Criador. Maria, a mãe do Redentor, radicalmente em comunhão com Deus, preservada do pecado. Se torna nova mãe dos viventes. Mesmo daqueles que não a veneram.

No ventre de Maria, está o fruto do Espírito Santo. Externamente somos capazes de apontar as inúmeras virtudes da Virgem Santíssima: como a vida de silêncio, de oração, de fidelidade e santidade. Mas, é importante lembrar que o fruto externo de virtudes advém de uma ação intrínseca de Deus. Uma ação anterior de Deus. Isso não desmerece os méritos de suas decisões pessoais, pois a Virgem Maria não é ressaltada apenas por ser a escolhida Mãe do Salvador, mas por ser a mulher que sempre decidiu por Deus, na obediência da fé.

Portanto nossa devoção à Virgem Imaculada (rosários, ofícios, consagrações, etc.) nos ajuda a converter:

  • A nossa soberba em humildade. “Eis aqui a serva do Senhor.”
  • A nossa avareza em generosidade. Quando visita sua prima, Santa Isabel.
  • A nossa inveja em caridade. Em Bodas de Canaã, “Fazei tudo o que ele vos disser”.
  • A nossa ira em mansidão. Maria guardava tudo no coração, como fez durante a perda e reencontro do Menino Jesus.
  • A nossa luxúria ou impureza em castidade. “Não conheço homem algum” e o anjo Lhe disse “O espírito virá sobre ti”.
  • A nossa gula em temperança. “Bendito o fruto do seu ventre”.
  • A nossa preguiça em diligência/sacrifício. “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a vossa vontade!”.

Portanto, nesses 25 anos de vida sacerdotal de Frei Marcos, recordamos as inúmeras rosas que oferece a Jesus. Com coração formatado pela docilidade da Mãe de Deus. Rosas oferecidas com dores, com lágrimas, com cruzes; mas também com alegria, com devoção e com amor.

Com certeza os traços da Virgem Santíssima acompanharam frei Marcos na docilidade, no amor, na educação e orações oferecidas por sua mãe que sempre te acompanha.

 

Por: Frei Gilberto de Jesus

Ministro Provincial

Artigos

Ver todos os artigos
© 2018 Ordem dos Frades Menores. Todos os direitos reservados

 
Fale conosco
curia@franciscano.org.br